quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Ei você ai, me dá um Prozac ai!


Entra no consultório decidida e dispara:
-Doutor, estou com depressão, não durmo direito, estou muito ansiosa, minha amiga está tomando um Prozac a cada 12 horas, para mim, acho melhor um a cada 8 horas, assim vou ficar bem!
O médico resignado prescreve um a cada seis horas.
Exagero? Acho que não.
Se no tempo da Emma Bovary existisse algum tipo de antidepressivo, ela falsificaria a assinatura do marido nas as receitas, e ainda passava para alguma amiga que precisasse, assim não teria tomado aquele arsênico todo.
Já a Capitu, teria levado o Bentinho no médico e pedido que o doutor desse um jeito no marido.

Números alarmantes:
12% da população está tomando antidepressivos.
em 4 anos a quantidade consumida cresceu 40%.
Há 130 tipos de antidepressivos à venda.

Estamos doentes, ninguém vai fazer nada?
Parece que é pecado sentir-se triste, ter frustrações.
Estou sendo repetitiva? Estou sim, já escrevi sobre isso, aqui, e aqui mas dessa vez saiu no jornal e a notícia me chocou.
Não acredito nisso!

2 comentários:

Milena disse...

Eu li tb mas não fiquei surpresa não... Conheço mta gente tomando remédio sem critério! Eu ainda acho que a culpa é da felicidade! Aquela que ninguém alcança e se frusta sabe?

Triste...

Patricia Daltro disse...

Assustador esse quadro! O pior é que a maioria desses medicamentos vicia, ou pode causar outros tipos de seqüelas a longo prazo... Concordo com você, nem toda tristeza é depressão, nem toda agitação infantil é TDA, nem toda confusão mental é Transtorno Bipolar... As vezes o melhor tratamento ainda é o antigo sair, curtir mais a vida sem tanta responsabilidade, viver um dia de cada vez... Bjs