terça-feira, 11 de novembro de 2008

Onde está a felicidade?


Desde sempre ela quis ser feliz, sua busca pela felicidade era metódica, havia decidido cada passo de sua vida e os objetivos para cada etapa, tinha tudo planejado.
Muitas vezes, se frustrou, suas amigas pareciam muito mais felizes, no ano em que fez aquela viagem complicadíssima para a Europa, não conseguiu o que viu nas amigas, que ao voltaram de Lambari tinham, um ar de contentamento invejável.
Com o passar dos anos nunca percebeu o quanto de fato conquistou, sempre queria mais, nunca estava satisfeita.
Quando ouvia as amigas relatarem as conquistas dos filhos, não sabia se podia dizer o mesmo dos seus, parecia-lhe um tanto exagerado, afinal eles não tinham feito nada de mais, nada além para merecerem tanta ovação.
A casa, o marido, os filhos, o trabalho, tudo era normal demais. Onde estavam as conquistas surpreendentes, o reconhecimento em massa?
Ela tentou outras alternativas, buscou nas artes, na religião, nas vidas passadas, mas sempre faltava mais alguma coisa, parecia que estava enganada.
Um dia ela avaliou, nunca se sentiu feliz, sua vida era uma lista interminável de frustrações, de lacunas nunca foi completa, em sua vida sempre faltava alguma coisa, nem sempre ela sabia o que procurar.
Chegou à conclusão que não tinha certeza do que na verdade queria, já estva achando que não precisaria ter casado e tido filhos, talvez sua profissão tivesse sido mal escolhida. Ficou com a certeza de que tinha feito tudo errado.
Ela não sabia, aquilo que tanto procurou estava lá, no marido, nos filhos, no trabalho, só esperando para ser aproveitada.
Existem tantas mulhers como ela, podiam ser felizes, não são, por pura ignorância.

3 comentários:

Patricia Daltro disse...

O problema de muita gente é ficar buscando a felicidade. Sabe aquela história, o capim do vizinho é sempre mais verde? Pois é, a felicidade sempre parece estar no outro, nunca na gente e ai, ela chega e parte e nem percebemos...

Milena disse...

"poderiam ser felizes, mas não são" pq vivem correndo atrás da felicidade, como se esta fosse um destino...
Triste! Pq a felicidade assim (como algo a ser conquistado) não existe, então ela passa a vida toda se frustando e qdo vê... A vida passou!
Eu aprendi muito cedo que a felicidade sou eu quem faço, com aquilo que eu tenho AGORA!
AAAHHHHH a felicidade...

bjooooooo

Camomila disse...

Isso me lembra um filme que vi quando criança, acho que era com a Shirley Temple, em que ela ia buscar um passarinho azul da felicidade. Aliás, o nome do filme era esse mesmo: O Passaro Azul, passava na sessão da tarde.
Ela rodava o mundo e no final o pássaro estava pousado na sua casa. Nunca esqueci dessa historinha...