sábado, 20 de junho de 2009

HH Alhos

Os fatos aqui relatados são verídicos, os nomes foram omitidos só por eu não ter pedido autorização para os relatados. Se você faz parte dessa história e achar que eu exagerei, suprimi ou não fui fiel à verdade, se manifeste que eu arrumo, tá?
Ainda me lembro....
Houve um tempo em que arrebanhar jovens, em torno de ideias de comprometimento, engajamento era prática e muito divulgada e aceita por todos.
Na adolescência fiz parte de um movimento desses, era uma turma, uma turma enorme, cheia de grupos e sub-grupos, eu circulava bem entre todos eles. Eu tinha amigos e amigas mais velhos, mais novos, parecidos e diferentes de mim. Para fazer parte desse movimento você era convidado por algum participante, e em seguida passava a fazer parte de todas as atividades.
Tudo girava em torno de propostas feitas por um grupo de organizadores, atividades que podiam variar entre um churrasco, uma projeção de cinema, uma festa a fantasia, mas havia também a parte engajada, um bingo beneficente, uma ação educativa de saneamento básico, uma faxina num asilo, ou uma campanha do agasalho.
Durante esses momentos as amizades cresciam e frutificavam, havia quem era conhecido pelo apelido, pelo sobrenome e até quem , assim como eu era uma pessoa com nome e sobrenome. Ainda hoje, exatamente trinta anos depois, há pessoas desse tempo com quem convivo, encontro, tenho notícias e muitos amigos no Orkut.
Lembrei disso justamente por, na sexta-feira, ter encontrado uma amiga desse tempo, com o frio que está fazendo me lembrei de uma situação em especial.
Já havia anos que organizava-se a Campanha do Agasalho, nos primórdios dessa prática, fazia-se gincanas, jogos e tudo mais.
Naquele ano, chegou-se ao auge da organização, uma "comissão organizadora" propôs que se formassem equipes de vinte? trinta? pessoas, cada equipe contaria com uma dupla de chefes e faria a arrecadação da maneira que achasse mais adequado, tudo seria entregue no mesmo lugar, num dia até um horário limite.
O dia foi marcado, num domingo de Junho, lá no começo da década de 80, seria a "final" da nossa "Campanha do Agasalho", a minha equipe chamava-se "HH-",
bem ao gosto de jovens entusiasmados com o que fazem. Minha única xará, naquela época, e o namorado (hoje marido), cujo apelido denotava falta de melanina na pele, tinham conseguido arrebanhar as pessoas mais animadas do pedaço, nós já tínhamos umas cinco salas repletas de agasalhos, no dia "X", nós apenas colocaríamos tudo nos carros e levaríamos para o lugar da entrega.
Como todas as coisas próprias da idade, na noite anterior era a festa de aniversário de um membro do grupo, festeiro que só, resolveu promover um arraial, numa casa nos arredores da cidade, nem sei direito, todos vestidos a carácter, dançamos e festejamos até o dia raiar, tomamos café-da-manhã ainda com os trajes da festa, e antes das oito, estávamos no batente, carregando um caminhão que, provavelmente nosso chefe arranjou em alguma transportadora amiga. No final do dia, muito cansados, todos felizes, afinal havíamos cumprido uma missão, arrecadamos muitos agasalhos.
No final, lógico que nossa equipe venceu, arrecadamos mais de um caminhão de agasalhos.
Talvez, muito da minha maneira de agir, pensar, sentir, seja resultado dessa minha experiência, por outro lado, entendo o quanto eu era do jeito que sou, já naquele tempo. Durante todos esses anos, venho me reformulando, me moldando, me reinventando, mas sempre dentro desse padrão, fazer o que tenho que fazer, pensando no meu bem no bem dos outros.
Pronto, inaugurei o capítulo que estava faltando, esse passado obscuro na vida de qualquer ser humano, a adolescência.

6 comentários:

LuMa disse...

Taí a razão por que estou sempre por aquí! Suas missões começaram cedo, Paola! Confesso, a adolescência e outros tempos de excesso talvez ofusquem o que tbém fiz; e se o fiz, foi em escala muito menor, dentro do ambiente do bairro ou de conhecidos que necessitavam. Depois que se cumpre, a sensação é de grande satisfação, não é mesmo? Beijos!

lola aronovich disse...

Nada a ver com o tópico. Só escrevo pra avisar que meu shampoo e creme rinse chegaram! E tem um cheirinho ótimo. Vou usá-los e depois falo pra vcs o que achei. Muito obrigada, Paola e Asnalfa! Adoro receber coisas pelo correio não-virtual. Abração procês.

Paola disse...

Que bom! Lola!
Fico contente!
vc vai gostar!

Beijo

PAola

Incontinente disse...

Comecei a ler o post e devo confessar que fiquei tensa, no meio dele tinha certeza que algo terrível estava prestes a acontecer :P

Mas deu tudo certo e pessoas foram agasalhadas por um caminhão de agasalhos.
Definitivamente muito bacana!

asnalfa disse...

Nossa Paola, realmente vc tem um coração muito generoso! Sempre se preocupando com o próximo desde jovem.
Lola... depois vc faz um guest-post no seu blog contando o que achou do shampoo. Poe foto antes e depois!!!

marcialit disse...

Uau!!!
è isso mesmo! Nossa adolescência obscura timha muuuita luz, não é mesmo?!!

Hoje meu filho mais novo esta participando desse mesmo movimento e nada melhor pra recordar fase tão iluminada de nossas vidas.

Vou achar a foto deste dia. Ah!! se vou...