quarta-feira, 17 de junho de 2009

Revelações

Ah! Meus irmãos, eles não são simplesmente irmãos, são comparsas, sempre foi assim, um fazia, o outro acobertava, se você pensar no moleque mais abusado que você conheceu, provavelmente era fichinha se comparado aos meus irmãos metralha, lembra deles? Bem sei que ao ler isso, meu irmão leguminoso vai contar como eu era chamada por ele, o outro vai negar até o fim, ai todo mundo vai ficar sabendo que é tudo verdade, eu não invento nada. Não vou esquecer, foram eles que destruíram minha boneca de vestido vermelho.
Não, não vou revelar o nome dos personagens dessa história, afinal, passado é passado, se por ventura algum dos envolvidos ler esse relato vai lembrar dos detalhes, me corrija se estiver inventando!
Eu já era mocinha, os metralhas continuavam os mesmos moleques "dimenor" de sempre. Às vezes, apesar de morarmos onde o vento fazia a curva, aparecia alguma visita.
Numa tarde, minha irmã e eu havíamos saído, fomos à casa de alguma vizinha, ao voltarmos, quase morremos de vergonha.
Enquanto estávamos fora, dois amigos vieram nos ver, os metralhas disseram que nós já iríamos chegar, mandaram os dois entrar, papo-vai-papo-vem, Metralha Um teve uma ideia genial, foi buscar uma corda, para mostrar quantos nós a quadrilha sabia fazer. Metralha Dois chamou os amigos, sentem-se aqui coisa e tal.
Quando chegamos, vimos nossos amigos sentados, cada um numa cadeira da sala-de-jantar, amarrados, pulsos e calcanhares nos pés da cadeira. Os moços já estavam bastante corados devido à posição, tentamos desamarrar e nada, era nó de profissional. Para fazer é bem fácil e para desfazer? Hein?
No final, quando todos foram salvos nos revelaram, tudo começou como uma brincadeira, sabe aquelas conversas de irmão mais novo? Você sabe fazer o "lais-de-guia"? Olha eu vou mostrar, põe a mão aqui. Provavelmente uns queriam se mostrar mais que poderiam, outros, não conheciam o poder de fogo dos pequenos terroristas!
Pois é, eu podia estar aqui contando um dos nossos lindos momentos de amor fraternal, mas comigo é assim, as coisas vão eclodindo e eu não tenho nenhum controle sobre elas.
Vida em família, a verdadeira vida selvagem!

4 comentários:

LuMa disse...

Vejo que vc está deixando verdadeiros documentos de história da família pras gerações seguintes. Acho uma boa, porque nem sempre temos tempo ou ocasião pra repassar essas heranças verbalmente, né. Boa, boa... beijos e bom fim de semana pra vc!

marcialit disse...

OláPaola,
xeretei aqui e... que delicia.!Não sabia deste seu dom. Maravilha.
Continue a escrever, parece que te faz muito bem , também.

Paola disse...

Luma.
Além de comunicar, eu organizo minhas ideias e não esqueço!

MarciaLit;
Coisa boa receber sua visita.
Volte sempre!

Beijocas

PAola

Anônimo disse...

se fiz Foi merecido, provavel mente algum playboy chato

legume