terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Chata-de-Galochas


Antigamente, quando eu era uma pessoa de pouca idade era comum dizer que alguém era um "Chato-de-Galocha", expressão de uso cotidiano que me consumiu, durante anos, que cara teria um  desses chatos-de-galocha que tanta gente conhecia intimamente? E as chatas-de-galocha? Sempre achei que "Chato-de-Galocha" era um sinonimo de "Porco-Chuvinista", em 1970 eu tinha seis anos, essas expressões eram usadas com bastante frequência.
Aos poucos, fui entendendo que eram duas coisas diferentes.
O "Porco-Chuvinista", fui logo apresentada,  sendo uma moça cheia de opiniões, conheci vários, irremediáveis, horrorrosos! Para o "Chato-de-Galochas", precisei de mais dedicação. 

Afinal, que seria um "Chato-de-Galochas"?
Pessoas em geral não usavam galochas cotidianamente, aliás, durante anos, apenas faxineiros, frentistas, açougueiros usavam galochas.
 
Essas galochas bonitinhas são algo recente, até pouco tempo o máximo da boniteza possível em uma galocha, isso apenas nos números infantis, eram  cores mais vibrantes, vermelho, amarelo,  azul e talvez um rosa e olhe lá!
A dúvida me perseguiu durante anos, Chatos-de-Galochas teriam uma cara? Seriam todos iguais? Ou diferentes? Tem um cheiro específico?
 Bonitos? Duvido!
Com os anos descobri como é um chato-de-galocha, pior ainda é que descobri que eu sou um exemplar feminino, portanto eu sou uma chata-de-galochas, às vezes essa constatação me dói, 
às vezes preferia não me incomodar, mas sou uma chata-de-galocha exemplar!
Descobri isso há muito tempo, mas hoje, em minutos tive três ataques, então, sou um exemplar digno de observação.
Depois de ler "A Viagem do Elefante" do Saramago e "A Resistência" do Ernesto Sabato, comecei a ler "O Jogo do Anjo", do Zaflón, e vou ler até o fim, apesar de ser cheio de descrições desnecessárias e enrolações em geral, hoje quase surtei, na página 62, o personagem marca um encontro em sua casa no dia seguinte, na página 63 ele começa um novo capítulo dizendo que passou a semana arrumando a casa e a visita chegou às 4 da tarde! Isso é falta de editor, alguém não leu o original, tá, primeiro surto!
Ao sair do elevador social do meu digníssimo prédio, uma garotinha, seis anos no máximo, enrolada na toalha e ainda pingando a água da piscina, vai entrando no elevador, chata entra em ação: Quando a gente vem molhada da piscina, usa o outro elevador, a menina, acho que levou um susto, mas assim é! O segundo surto aconteceu.
Ao sair do estacionamento, o jardineiro, que havia acabado de podar os
 arbustos do jardim, estava com o esguicho empurrando a sujeira ladeira abaixo! Chata voltou. Parei o carro e falei para ele, esguicho não é vassoura, na mesma hora ele respondeu, que ele não paga conta de água! Eu pago!
Chata vestiu as galochas para poder descer do carro, atravessar a correnteza de água desperdiçada e  procurar o zelador, que para variar tinha dado uma saidinha. Tudo bem, eu volto!
Chata-de-galocha voltou, o zelador olhou para mim como se eu estivesse contando uma boa mentira, levei o cara até o local do crime! Oh! há vestígios! Prometeu tomar providências.
Chata-de-galocha usa sacola de lona para ir às compras, separa o lixo, não joga gordura no ralo, é uma verdadeira eco-chata-de-galocha.
Nem sempre vale ficar falando, mas empurrar sujeira com esguicho, não dá, né?
Se todo mundo falasse, muita coisa poderia ser diferente!
Vai ver essa construção está afetando minha sanidade!


9 comentários:

Kenia Mello disse...

Paola, sou da sua turma: falo mesmo. Mas tem horas que desanimo, viu? É falta de educação e ignorância pra meio mundo mais a metade! :/
Beijos.

Cadinho RoCo disse...

Em um Brasil como este que estamos nele não dá pra não ser chato porque o abuso esta à solta, em todos os lugares, de todas as maneiras e num abuso crescente porque desconfio que tenham empurrado com a tal água a educação para o ralo e empurrado com mais água ainda para o fundo do esgoto.
Cadinho RoCo

Lu disse...

Puts...depois de ler seu post, descobri que sou uma chata de galochas também. Mas quero uma galocha "fashion"...hahahahaha

Paola disse...

Kenia,
Eu fico na dúvida,falar ou não falr, mas quando falo fico mais calma!

Beijo

PAola

Paola disse...

cadinho,
A sensação é essa mesmo,não há cuidado, ningueem se responsabiliza, e ai fica fácil encontrar os culpados!

Seja bem-vindo!

PAola

Paola disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paola disse...

Lu,
Seja bem-vinda!
TAmbém achei mais charmoso ser chata-de-galocha-fashion!
MAs que é uma expressão boa de se usar, isso é, né?

Beijocas

PAola

googler disse...

chloe purse
chloe paddington handbag
chloe uk
dior
christian dior

APRENDENDO POR AI disse...

Paola,
também me identifico com esse título, o qual uso como slogan para meu blog: um chato de galochas. Isso pq minha família me chama de "cara muito chato", só porque exijo qualidade e ordem nas coisas. Agora é que vou aceitar melhor o título, pois vc provou que ser chato é bom.