quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Geladeiras Antigas

Na casa da minha avó, tinha, na casa da tia-avó, também, acho que em todas as casas mais antigas que a minha, tinha, eram brancas, azuis, vermelhas ou amarelas.
Sabe aquela geladeira arredondada, enorme por fora, pequena por dentro?
Uma coisa elas tinham em comum, aliás todas as geladeiras da minha infância, todas davam choque, com sapato, ou sem, eu levava choques o tempo todo, usava pano de prato, a pontinha da manga, mas que eu levava, eu levava. Até hoje levo muitos choques, até na porta do carro.
Aos poucos as geladeiras tipo "frigidaire" foram sendo substituídas, a última que eu tive contato, foi no interior, numa casa que minha cunhada havia acabado de comprar e reformar, entre tantas novidades, enquanto a nova geladeira não chegava, acomodaram o antigo trambolho no lugar devido.
Era uma geladeira do tempo em que se amarrava cachorro com lingüiça, já estava bem estropiada, inclusive sobre uns tijolos que faziam o papel dos pés.
Alguém , ao recolocar a geladeira no lugar, achou por bem instalar os velhos pezinhos de louça que estavam ali no canto.
Num feriado do segundo semestre, fomos para lá, eu na cozinha com a caseira, fazíamos um almoço daqueles gostosos e caprichados, pega uma coisa aqui, lava uma coisa ali.
Num determinado ponto precisei de alguma coisa da geladeira, fui lá, peguei que queria, fechei a porta com delicadeza. A porta não fechou, a caseira me alertou, tem que usar força! E eu usei.
A geladeira bambeou prá cá, bambeou prá lá, e puft, caiu de cara no chão!
Eu dei um pulo para longe, a caseira gritou: "Minha Nossa Senhora! Graças a Deus você não está grávida!"
Ai que susto!
Levanta a geladeira, o que deu foi salvo, o que não deu foi pro lixo.
Conversa vai ,conversa vem ,ela insistia que era bom eu não estar grávida, casada de novo, podia ser, o susto não era bom para o bebê.
Voltamos para casa e não é que naquele mês eu descobri, eu estava mesmo grávida!
Como dessa gravidez nasceu a filha-que-já-pode-votar, dá para imaginar o tempo que isso aconteceu e que o susto não prejudicou o bebê.
Tudo isso porquê a Patrícia do blog "A vida sem Manual" inventou uma dieta baseada em geladeiras que dão choque (Vai assaltar a geladeira, ptzzz, um choque!) Se você quiser, o endereço está ai do lado!

4 comentários:

Milena disse...

Hahahahahahaha! ADOREI!
Minha mãe comprou uma pra casa nova (ela é loucamente apaixonada por geladeiras antigas), a gente mandou reformar e pintar de preto! Ela tá linda! E como não queremos abusar de sua capacidade, deixamos ela lá, como uma segunda geladeira, sabe? Pra dias de festa!

Um beijo!

Rita de Cássia disse...

Que ótimo!!!!!!!!!!
hauauauuaua
Eu também levava choques em geladeira, sempre!
Deve ser porque temos energia de sobra heheheh!!
Beijoss

Ana R. disse...

O pior é que não dava para ir silenciosamente, à noite, pois era preciso "usar a força"...:)

Paola disse...

Milena,
Uma geladeira de gala!
Vcs arranjaram um pinguin, para colocar encima, né?

Rita,
Acho que algo assim, eu levo choque em brinquedo de parquinho, torneira de água fria, até em casaco de criança, é um absurdo, o pior é que eu não consigo disfarçar.
Outro dia levei o carro no mecânico, pedindo para dar u jeito, ouvi uma explicação digna de aula de física de colegial, e os choques não pararam!

Ana,

Nem durante o dia, quando pequena, onde íamos nas férias tinha uma dessas e normalmente, dentro da geladeira tinha algo muito interessante,mas de qualquer lugar da casa minha mãe, podia controlar o trânsito! O pior que nem percebíamos que nossa inimiga era a porta!

Beijos

Paola