quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Que a paz esteja dentro de nós



Eu já entendi que não é preciso mudar de religião, não é preciso ter uma religião. Não é preciso comprar livros que revelam de segredos nunca antes divulgados, os segredos já foram revelados, nossa existência é prova disso.
De um tempo para cá ficou claro, para mim, que a paz é uma busca pessoal, intransferível, só acontece se houver disposição interna para tanto. Não se compra, não se ganha, é conquista.
Simples assim, sim. Gasta-se montanhas de dinheiro, querendo pirotecnia, soluções mágicas, para tudo, para encontrar a paz, perder peso, ganhar dinheiro, ficar famoso!
Já faz um tempo que estou sentindo necessidade, um desejo, por uma resposta, por um caminho. A direção eu sei qual é, afinal, quarenta e tantos anos de questionamentos, tinham que ter algum resultado.
Outro dia, respondi a um questionário e vem a "análise":



...A pessoa deste tipo possui valores centrais que são permanentes.
Normalmente é uma pessoa que valoriza a família, é altruísta e espiritual. Estes valores dão à sua vida significado e satisfação. No seu ponto de vista, sucesso é bem mais do que dinheiro e prestígio. Portanto, seu trabalho deve ser significativo para valer a pena... esta pessoa sabe ajudar os demais a alcançar suas metas. Para ela o mais importante é ajudar as pessoas a se desenvolver. Pequenos progressos que observa naqueles que está ajudando são o seu combustível, trazendo força e satisfação....em busca de ajudar os outros. .... Deseja ser um membro integrante da equipe e irão procurar aprovação por um trabalho bem feito.




Depois de ler isso, mais uma vez, venho aqui, como se fosse um confessionário, como se fosse um divã, como se fosse a mesa de bar, para confirmar, para garantir que eu me mantenha fiel ao que eu me propus, buscar o bem, o belo e o certo, através de atitudes, palavras e pensamentos.
Lendo isso, reconheço minha história, reconheço minha filosofia, mesmo sentindo que poderia fazer algo diferente e agora, de repente lembro: às vezes a atitude correta e a única alternativa válida é ficar quieta, e pronto.

2 comentários:

Kenia Mello disse...

Também penso assim: no fundo, todo mundo quer mesmo é domar suas feras, curar suas ´próprias feridas. Muitos buscam isso na religião e até acham. Para mim não funciona assim. Prefiro aprender a conviver com a pessoa que sou, entendê-la, sem intermediários, mas com uma imensa fé na vida e na possibilidade de sempre sobreviver.
Beijos.

Milena disse...

Essa é vc com certeza! Me ajudou a me desenvolver! E está sempre a procura de algo maior e mais significativo pra chamar de sucesso!
E quando a gente olha pra vc, quando vemos o seu sorriso, a gente pode garantir: Tem sucesso aí dentro!

Um beijão!