quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A vida pela televisão

Apesar de todas as promessas de campanha, o Jardim Pantanal está inundado, de novo.
Autoridades "incompetêntes" prometeram drenar o terreno em, pasmem, Abril! Que beleza!
A região serrana do Rio, foi democraticamente assolada pelos deslizamentos (nesse link, a explicação por especialistas) causados pelas trombas d'água, não sobrou nada, tudo foi levado pela lama. Muitos mortos e feridos, alguns resgates milagrosos (o bebê resgatado de um soterramento sem nenhum arranhão, foi salvo pelos braços protetores do pai, a mãe que ao ouvir o deslizamento, acordou os filhos e se protegeu no fundo da casa, nenhum vizinho sobreviveu, a mulher que estava no teto da casa que foi levada pela enchente, resgatada por uma corda jogada de cima de um prédio), muita dor, nenhuma explicação, notícias que se repetem, a Natureza está em seu limite. Desastres como esses vem se repetindo há anos e mais anos.
As emissoras comprometidas com a tragédia, na busca desenfreada por audiência saturam a programação com imagens exclusivas, sem nenhuma edição, são colocados no ar, ao vivo todas as imagens, todas as declarações.
Em meio a tanta calamidade, os repórteres na ânsia de "comunicar" fazem observações inadequadas, perguntas desnecessárias, comentários secundários, hoje, no programa da Ana Maria Braga, uma repórter entrevistava a mulher que salvou a vida dos filhos e perdeu tudo que tinha, a repórter quer uma última declaração: "Apesar de toda essa tragédia você se considera sortuda?". Na Record, enquanto pessoas corriam assustadas, carregando alguma bagagem, a repórter interpela um sobrevivente: "Você só conseguiu salvar isso?","Não", responde o homem, "isso é o que eu consegui receber da Defesa Civil."
Eu entendo que os repórteres também estão assustados e em pânico, mas é preciso ter mais cuidado e respeito com as vítimas.

4 comentários:

Dinorah disse...

Paola, eu vi estas cenas e dá vontade de esconder o rosto de vergonha da ânsia por "furos" e emoções - mais do que a gente já está sentindo. Resta rezar para esta gente toda, que poderia ser qualquer um de nós. Que Deus tenha compaixão deste povo e alivie seus sofrimentos. Não existe palavras para expressar algum consolo.
Dinorah

Dinorah disse...

Paola, eu vi estas cenas e dá vontade de esconder o rosto de vergonha da ânsia por "furos" e emoções - mais do que a gente já está sentindo. Resta rezar para esta gente toda, que poderia ser qualquer um de nós. Que Deus tenha compaixão deste povo e alivie seus sofrimentos. Não existe palavra para expressar algum consolo.
Dinorah

Luciana Kotaka disse...

Ola amiga, tudo isso e reflexo da negligência que vem ocorrendo com nosso planeta. Infelizmente tudo vem piorando, no mundo todo, isso e assustador.Um abraço

Paola disse...

É mesmo assustador, fico muito incomodada com o jeito que todas essas coisas são tratadas, como se fosse mercadoria!