domingo, 7 de novembro de 2010

Fotos antigas



Eis aqui uma típica família do começo do século XX. Aqui, ainda não está completa, faltam alguns filhos que ainda nem sabia-se que viriam a existir.
Em visita ao "photographo", todos em suas melhores roupas, detalhes caprichados, repare, ilustre leitor, nas polainas do pai, no colar da mãe, as meninas de chapéu e gravata do menino.
O cavalinho faz parte do cenário do estúdio, as câmaras, naquele tempo não eram nem portáteis, as famílias contratavam fotografias, uma ou duas, sem direito à erro...
Essa foto ficou esquecida por quase cem anos dentro de um álbum, apesar disso ainda é possível identificar cada um deles, lembrar de histórias, até do jeitão de cada um. Ao reparar nas feições, é possível reconhecer nos filhos, netos e sobrinhos muitas semelhanças. Interessante reparar que é muito mais fácil reconhecer o parentesco quando as idades são semelhantes.
Os pais, imigrantes italianos, já haviam superado as dificuldades iniciais, já moravam em São Paulo, ele já era dono da próspera fábrica de chuteiras, a primeira fábrica de chuteiras do Brasil, ele mesmo que me contou, várias vezes. Veja só, o zeloso dono da fábrica de chuteiras rodeado de seus funcionários, ofício que ele aprendeu ainda menino .Essas fotos fazem parte do álbum da minha tia-avó, a madrinha da minha mãe, é mais que uma relíquia, é um documento, apreciando cada uma das fotos, somos brindados com surpresas, essa tia, por não ter casado foi escolhida madrinha de muitas crianças, parentes e não parentes, teve tempo de colecionar e guardar fotos e lembranças de todos os tempos.
Entre as milhares de fotos, algumas assim profissionais, outras tiradas em passeios e festas, encontro, surpresa, toda minha ascendência.
Essa outra foto com o cavalinho, quem diria, são o pai e os tios do meu pai! Sim, minha tia-avó, madrinha da minha mãe, guardava em um álbum antigo, fotos do meu avô paterno! Claro que a foto foi dada à mãe dela, afinal meu avô é 13 anos mais velho que minha tia!
Como eu já contei aqui, minhas bisavós eram primas irmãs, muito unidas, andaram juntas por toda vida.
O caso é que ela foi a responsável por essa e outras heranças, moça solteira, naquele tempo, e filha dessa família, não saia da casa dos pais, ela morou a vida toda com os dois. Moraram na mesma casa por pelo menos 60 anos, e minha tia foi a guardiã de muitas lembranças, assim como o móvel que está aqui na minha sala de jantar, outras tantas.
Por razões inexplicáveis, às vezes, brotam do fundo do baú coisas desse tipo... mas o mais importante desse tipo de achado é o intérprete, alguém que seja capaz de reconhecer, explicar.
Meu pai contou que essa foto do cavalinho tem história, alguém acha que eles chegaram e cada um escolheu um brinquedo, tranquilamente?
Dizem que não, o mais velho impôs sua vontade!Outra curiosidade é uma foto de um grupo enorme, deve ser de uma festa, há moças com sais xadrez, maços de flores nos braços, parece uma fazenda, há várias cópias soltas.Não sabemos que festa é essa, mas no verso de uma delas há a seguinte anotação - Lembrança do Sr. Bernardo, muito elucidativa...
Se alguém souber algum detalhe sobre a foto, mande uma mensagem para mim!