sexta-feira, 17 de julho de 2009

Coisas que ardem na alma

É, ela está com tudo e não está prosa!
Já faz um certo tempo que escutei uma expressão saída da boca da "repórter" de um programa que eu gosto, da primeira vez não escutei, passou, da segunda, achei que era engano, da terceira, tive certeza, ardeu na alma.
Vou contar, não me apresse, se estiver errada, por favor me corrija!
Acho que a língua que falamos é viva, aceita modificações e "acertos" para ser mais pontual, mais significativa, acontece que, a Língua Portuguesa é rica o suficiente para, com as palavras que já existem, expressar que quer que seja, vide Fernando Pessoa, que escrevia em várias línguas e várias "pessoas".
Não estou sendo ferina, afinal a moça em questão já foi colega de trabalho do Marcelo Tas e do Lobão, se não aprendeu com eles... que não perdoam uma, talvez não aprenda mais.
Claro que sei que cada "tribo" desenvolve seu linguajar próprio, com as piadinhas internas, com os códigos exclusivos para os iniciados, mas há uma grande diferença entre o "código" da tribo e a ignorância, essa que está escondida atrás de cada poste, só esperando para dar o bote!
Eu entendo a moça, eu também nutro o mesmo sentimento específico, mas há um nome para tal sensação.
Numa "matéria" sobre o uso adequado do salto alto, com o Ivaldo Bertazzo ( aquele que espinafrou o gordinho no programa do Faustão), a modelo em questão, a Mariana Wieckert, disse que sentia, atenção: "vergonha alheia" ao ver alguém com os dedos do pé saindo da sandália, ou agarrando a sola para não se estatelar.
Pois é, eu também tenho vontade de pisar nesses pés que se agarram nas sandálias como se estivessem se afogando, acontece que o nome não é esse.
Surpresa, já existe, na Língua Portuguesa, uma palavra, elegante para designar tal sentimento, não precisa inventar, está lá só nos esperando.
A questão da linguagem é sério, nem sei quantas palavras existem na Língua Portuguesa, há palavras para tudo, inclusive para essa mania de superar a explicação, é o tal do preciosismo, tão em voga entre os policiais.
Ah! A palavra já inventada é "constrangimento" é o que sinto quando escuto esse tipo de batatinha via satélite, minha avaliação fica comprometida pela edição do programa, pois imagino o Ivaldo ter feito a correção na hora!
Acho que é importante ter decoro para vestir, para se comportar e também para se expressar!
A Chata-de-Galochas está num daqueles dias, concordo, mas vamos combinar que tudo tem limite, inclusive a permissividade com a língua falada quando de posse de um microfone, e aí eu me lembro que suspenderam a obrigatoriedade do curso de jornalismo... meu deus!... agora é que a coisa vai ficar complicada, é a mediocridade abrindo suas asas sobre nós.

6 comentários:

Kenia Mello disse...

Ah, Paola, é que "vergonha alheia" virou expressão da hora, uma vez proferida por alguém cabeça ou descolado, você me entende. Isto já acontecceu com a horrorosa " a nível de" e uma vasta lista segue a rota.

No entanto, e aí nada tem a ver com esse tipo de atitude pernóstica citada por você, acredito, sim, no domínio da gramática, para, uma vez domada, dar origem a novas estruturas lexicais que, na voz de um Guimarães Rosa, por exemplo, nos deixam com aquela sensação de espanto e admiração que se traduz num puxa, como eu não pensei nisso antes?. E a língua portuguesa, barroca por excelência, se presta a esses malabarismos lingüísticos.
Beijos.

Paola disse...

Pronto! é isso mesmo, eu adoro o malabarismo linguístico, mas detesto a atitude pernóstica dos ignorantes.
S˜åo duas coisa diferentes!

Beijo

PAola

asnalfa disse...

O termo vergonha alheia ja existe há anos... tem ate varias comunidades la no orkut com esse nome... inclusive ja virou abreviatura: VA
Por exemplo: "Sinto VA total por aquele homem que usa sapato com salto que ensina as mulheres a andar com este tipo de sapato"
Serio Paolinha!
Digita la no orkut: Celibridades de Segunda Linha, pra vc ver o que o povo comenta dos famosos.... morro de dar risada.
Bjos!

Paola disse...

Ai, meu deus!

Quanta ignorancia, essa minha!

Vou me instrumentalizar lá no Orkut!

Paola

Alice in Wonderland disse...

Verdade, a esxpressão já tá na boca do povo! Eu não acho das melhores, mas tá usando, como dizem! Rsrs

Não concordo que exista palavra pra tudo, já me deparei com situações em que não achei palavra certa pra falar. Ou talvez exista, eu é que ainda não incorporei todas elas no meu vocabulário!

Beijo,
Alice

Paola disse...

Alice, do céu,
Não diga uma coisa dessas, vc é uma pessoa de vocabulário desenvolvido, não precisa disso!
Acredito que, agora ai na terra do CAbral, as coisas estejam um pouco confusas, mas logo tudo entra nos eixos!

Bjs

PAola