domingo, 12 de outubro de 2008

Quando usar fantasias



Dia das Crianças, é só dia 12 de Outubro?
Claro que não, todo dia é dia de criança ser criança.
Desde muito pequenininha sempre mostrou que tinha opinião, vontade, muita vontade. O quê vestir? Só com muita negociação, ela não aceitava simplesmente a roupa que lhe era destinada, tinha que dar seu toque pessoal, o seu jeito de entender a roupa. As camisas, com lindas com golas bordadas, com botõezinhos na frente, eram colocadas nas costas, sapatos, eram sempre substituídos por sapatilhas de balé, os vestidos, só com cintura baixa, e que rodassem, era assim, não adiantava brigar, simplesmente ela só usava o quê gostava, as combinações? Sempre as do seu gosto. Uma camiseta rosa-choque com desenhos do Mickey, no seu entender, combinavam muito bem com uma saia azul claro com estampas de ursos, por quê, não? Às vezes era preciso dar uma controlada, então a sessão de negociação era mais problemática que uma rodada de conversas diplomáticas entre o Hugo Chaves e o pessoal da ONU, sabe? O resultado era sempre o mesmo, a sapatilha de balé no pé, um colar da tia pendurado no pescoço e o cabelo, bom o cabelo, seja o quê Deus quiser!
Enquanto o figurino era esse das roupas normais, tudo era possível, mas havia também o modo "fantasias".
Naquele tempo, ainda não existiam as "fantasias Sul Americana", nem os modelos prontos, as Cindrelas oficiais, vindas direto da Disney, não, mas na casa da vovó havia uma mala tamanho gigante, cheia de fantasias, fantasias da tia bailarina, sabe aquelas saias de tule? Os colants com lantejoulas? Sim uma mala com fantasias de verdade.
Essas fantasias foram usadas à exaustão, no supermercado, no açougue, no banco (naquele tempo, criança ia ao banco com a mãe, e nem tinha fila preferencial! Quem diria, hein?) no parquinho, o figurino era sempre o mesmo, fantasias pessoais!
Algumas pessoas, dava para ver, ficavam muito incomodadas, como se houvesse uma lei proibindo o uso de fantasias, proibindo a mistura de cores ao gosto do usuário.
A mãe, sempre explicava aos curiosos e ansiosos, deixava ela experimentar, ajudava ela formar seu repertório, quando for mais velha, não vai ser refém dos modismos.
Até hoje, há quem lembre, da figurinha que passeava pela região vestida de princesa, fadinha ou cigana, sempre numa releitura própria cheia de vida.
Tantos anos depois, só podemos dizer, a mãe estava certa, a menina cresceu, a menina nunca caiu nas armadilhas do consumo fácil, muito pelo contrário, ela hoje, gosta de fazer suas próprias roupas, escolhe o que gosta, tem um estilo só dela, nada radical, mas um estilo dela, com cara menina-moça, com jeito de quem aprendeu saber do que gosta.

5 comentários:

Incontinente disse...

Isso me lembra o filme "O paizão" em menores proporções.

Se até adulto pode se fantasiar (quem não se diverte em festas a fantasia?) crianças deveriam se vestir como der na telha... na telha delas, quer dizer.

Milena disse...

E ela faz umas coisas lindas! De babar, gente!

Beijocas! E feliz dia das crianças atrasado pra vc!

Patricia Daltro disse...

Meu filhote de dois anos, abre o armário e escolhe a roupa, semana passada, queria se vestir de super-homem, uma fantasia que compramos para ele no carnaval. Foram três dias de capa esvoaçando pela casa, só tirava para dormir e lavar, rs
Tem blusa que ele não gosta, outras que ama, eu vou me adaptando aos seus gostos, (mesmo que isso, as vezes, me enlouqueça!kkkkkkkkkk)entendendo que assim estarei criando um ser humano que tem opinião.

Paola disse...

Mari,
Demorei para lembrar do filme, mas é isso mesmo.
mi,
Obrigada, eu tb acho, ela está muito metida, até fez uma fantasia para a festa da classe, dessa vez de Alice, ficou um arraso!

PAtrícia,
Minha política sempre foi respeitar o gosto deles, meu moleque não gostava , não gosta e duvido que um dia gostará de camisa pólo, desde bem pequeno, para mim tudo bem, na verdade o grande lance é colocar no armário apenas peças que você, mãe, fique confortável. Nunca gostei de roupas com muita informação, então ñao compro, se eles ganham eu troco, assim, quando eram menores a coisa não ficava tão punk!

Ice Ice Baby disse...

menina amei o post anterior?!

bjs chuchu