sábado, 25 de outubro de 2008

Batatinha quando nasce



E por falar em tatame, durante o treino, o Moleque machucou o pé, ao ambulatório, avisaram, não teve jeito, direto para o Pronto-Socorro.
Chegando lá, passamos por todos trâmites de costume, faz ficha, espera... espera... entra na sala de triagem, espera... espera...tira raio-X, espera... espera... e espera mais um pouco, na sala, o médico, examina a chapa, o pé, a chapa, outra vez, enfim, foi mesmo uma fratura, como dedo do pé não se engessa, a solução é esparadrapar... até aí todo mundo já teve um dedo do pé quebrado! Ouvir a explicação do médico, tudo muito simples.
Durante a explicação, eu lá sentadinha na cadeira, estava tudo indo muito bem, até que...apareceu aquele buraco no estômago, sensação já conhecida, e para completar uma tonteira daquelas, no fim enquanto o Moleque vai na sala de gesso, fico na maca do consultório, me recuperando! Tudo acabado, tive que dar uma parada na cafeteria, sem um reforço, não chegaria em casa!
Acho até engraçado, não adianta, eu sou completamente patife, desmaio mesmo... Eu me sinto a própria batatinha-quando-nasce, é de família, minha mãe, minhas irmãs, meu pai, todos nós , vira-e-mexe temos nosso momento batatinha-quando-nasce.
São tantos eventos do tipo que nem gosto de contar, alguns tipos de visitas, eu evito, não é legal desmaiar quando se visita algum acidentado, eu desmaio. Já desmaiei levando parentes para o hospital, já passei tive pirepaque quando a paciente era eu, e ao tomar injeção, nem precisa perguntar, vou cair dura de um jeito ou outro, na hora, ou depois. É vergonhoso, eu sei, pelo menos eu não dou mole, não fico olhando para certas coisas. Eu estava indo bem, mas enquanto esperávamos no corredor, vi e ouvi mais coisas que deveria!
Quinta feira foi o dia do dedinho do pé direito, enquanto esperávamos vimos outros cinco moleques manquetolando com o pé direito todo de esparadrapos, o vencedor foi um moleque que já estava com o braço engessado, o menino é do tipo calmo!
Hoje, tivemos atividade do judô, dedo quebrado? Parece que é muito comum! Eu mesma já quebrei uns três.

P.S. O certo é:
Batatinha quando nasce, esparrama a rama pelo chão!

Incrível, né?

2 comentários:

Ju disse...

hahaha! eu vivia me quebrando. bj

VictorKondo disse...

nusss... tb pratico jiu e quebrei meu dedo do pé faz uns 21 dia, tirei a faixa que imobilizava, mas o médico disse que continua quebrado, porém com uma calcificação que já me permite tirar a faixa.
Vou tentar voltar a treinar de leve. Não há quem impessa.huhasda