segunda-feira, 8 de setembro de 2008

O pé da bailarina




Eu e minhas histórias, essa é de verdade mesmo, como as outras, só que está acontecendo agora, ia escrever antes, mas precisava saber de tudo.
Ela nasceu para ser bailarina.
Bem pequena, assistia a aula de balé das irmãs, fazia tudinho. Lá do fundo da sala acompanhava todas as instruções da professora, a Dona Marina. Era muito pequena, naquele tempo, balé só para maiorzinhas. Finalmente ela também ficou do tamanho certo para a aula de balé.
A danada era boa mesmo. As irmãs, logo desistiram, não tinham jeito para a coisa.
Ela não, foi se envolvendo, foi se aperfeiçoando, fazia uma, duas, três aulas aqui, outras mais ali. Sempre se cuidou, nunca abusou, tinha o maior cuidado para não se machucar.
As professoras gostavam de seu porte, de seu jeito. Incentivavam, incentivavam.
O tempo foi passando e ela era cada dia mais bailarina, agora também estava no corpo de baile da escola, começou a dançar para valer.
Foi para a Europa, dançou na Itália.
Quando voltou, já mais preparada, foi contratada por uma companhia de dança, dessas importantes. Ela tinha presença no palco, era só ela entrar que alguma coisa acontecia no palco, ficava mais iluminado. Ficou nessa companhia, depois em outra, mais tempo ainda.
Foi se envolvendo cada vez mais, atee fazia figurinos quando pediam.
Agora, já casada, com filho ficou figurinista.
Estava em turnê, foram apresentar o balé na Espanha. Enquanto arrumava as coisas para seguir viagem, alguém derrubou um caixote em seu pé. Um estrago.
Teve que voltar da turnê antes de todo mundo. Que pena. O filho dela, que é um bebezão, comemorou o retorno antecipado da mãe.
Um acidente desses.... é chato, viu! Mas ela vai poder tirar umas férias extras.
Tudo tem seu lado bom! Melhoras!

2 comentários:

renata disse...

E irmana....e isso mesmo...adorei ....um granda beijo....Re...

Paola disse...

Re, seu pé vai ficar novinho!

bjs