terça-feira, 2 de setembro de 2008

Não tem mais graça. Chega, não vou mais assistir a novela!


Eu já desisti de acompanhar a novela.
A emissora prometeu e não entregou, agora já foi, ficou uma coisa estranha demais.
Ontem, fiquei boba, como pode tanto remendo, parece que desistiram e resolveram fazer uma novela nos moldes de "A Usurpadora".
Vamos combinar que a escolha dos nomes dos personagens foi risível. 
Alguém conhece alguma Donatela, brasileira com mais ou menos 40 anos? Se chamasse Jenifer, Sheila, Maria Teresa ou mesmo Cláudia ou Márcia, tudo bem, mas Donatela? E o jornalista? Que apelido é esse? Zé Bob? Uma coisa ou outra a gente engole, mas a combinação, não deu!
Nem vou comentar o problema com personalidades duplas dos personagens, nem com a economia nas locações.
Fique boba com a falta de capricho no enterro da Donatela, veja se estou louca:
A família Fontini não permitiu que o enterro acontecesse no jazigo da família, certo? Então como arranjaram um túmulo assim no meio do cemitério? Quem conhece os cemitérios de São Paulo, sabe, enterraram a Donatela num lugar bem chinfrim, hein? Não é falta de dinheiro, a Lara que pagou. Lara que tem uma batata quente dentro da boca! Ela não muda!
A Lara estava com a mesma roupa que ela usa para cavalgar no rancho. Tudo bem ela é assim despojada, mas era o enterro da mãe, faltou cuidado com o figurino.  A Donatela, escondida atrás do túmulo? Escutando tudo! E aparece o gringo para salvá-la!
Outros detalhes me tiraram a concentração: O dia estava nublado e ventoso, como é comum em São Paulo, mas a produção tomou uma birita e não se ligou no figurante que seguiu o cortejo carregando um guarda-chuva, aberto e usando um chapéu de palha! Em São Paulo!
E  a mudança no "visu" da Donatela, passou de perua Versatti para bicho-grilo deprimida, assim? Tá bom, vamos concordar que ela tinha que se arrumar com as roupas que encontrou no quarto em cima da lanchonete, tá bom, eu aceito, mas aquela gargantilha? Saiu de onde? E o 
Ray-Ban, novinho? Economizem-me!
Estou com "meda" da Flora, (se eu fosse o Ciro Gomes eu ia dormir em quarto separado!) Apesar de tudo, da transformação, o autor não está segurando a onda, ela não é fria e calculista?
Bem minha gente, poderia ficar aqui um tempão, e mostrando tudo que eu vejo, mas chega. 
Vou substiuir a novela pela leitura de um livro que não consigo terminar!
PS: As fotos são de cemitérios de São Paulo, os tradicionais, Consolação e São Paulo.
Aqui, há outra modalidade os cemitérios-jardim. Esse é o do Morumbi, que seria muito mais adequado para a novela.



4 comentários:

Ana Barros disse...

já faz um tempo que eu não companho mais novela nenhuma. Antes fazia tudo correndo para não perder um capítulo. Agora, faço minhas coisas com calma - e não passo nervoso com estas papagaiadas que eles mostram :-)

Milena disse...

Me matei de rir com o post! ADORO!!!
Beijoooooo

Paola disse...

Ana,
Passei anos sem assistir novelas. Mas um dia, me senti um pouco por fora e resovi conferir, agora está difícil. Vivo prometendo não assistir mais essa coisa.
Mas com a ajuda da própria novela, serei uma ex-noveleira!

Bjs!

Milenoca,
Vc rindo?
Como assim?


Beijos

Paola

Ana R. disse...

É uma ótima idéia, Paola! Eu amo a telenovela brasileira, mas ultimamente a falta de cuidado com a continuidade, entre outras mil barbaridades, tem transformado esse ritual em algo desagradável. A novela ficou chata demais....É melhor ler um livro mesmo....