quinta-feira, 21 de julho de 2011

Aos usuários com carinho




Se existir inferno, hoje eu conheci o purgatório.  Eu poderia ter resolvido a pendência de outra forma, mas teria que ir até o órgão competente(?) por outro motivo, resolvi "aproveitar".
A qualidade do serviço eu já conhecia, achava que era impossível piorar, mas em se tratando de órgão público, sempre dá para aprimorar. É comovente o cuidado que os órgãos públicos dispensam ao usuário, esse que paga impostos que mantém a burocracia em vigor.
Ouvi dizer que tal repartição seria transferida para outro endereço para atender o usuário com maior conforto e agilidade, eu ingênua que só, achei que seria um prédio arejado, com filas organizadas, aquele padrão que a gente se acostuma logo.
O novo endereço , apesar de mais longe, tem a vantagem de ser vizinho do Metro ( eu eu sou fã incondicional do Metro), acabam ai todas as vantagens. É muito mais apertado, sem sinalização, sem lugar para sentar e as filas se formam de forma aleatória pelos corredores.
Ao chegar, logo avistamos o lugar onde o outro motivo deveria ir, combinamos que enquanto  ficava na sua fila, eu ia descobrir onde entregar a documentação que me levou até lá. Não há placas ou indicação, vi umas mulheres de colete amarelo e prancheta,  ajudam o usuário se localizar, e consegui traduzir a informação que me deram, por sorte, eu perguntei - onde entrego essa documentação? - uma respondeu- rrrrrrrrrfilarrrrrextintorrrrrr- ah! a fila ao lado do extintor.
Quem está na chuva é para se queimar...uma fila enorme, não tinha outro jeito, entrei na fila, perguntei para o senhor a minha frente, é aqui? foi a senha ele queria bater-papo, enquanto estávamos espremidos contra a parede achei que o melhor era conversar com meus colegas de fila, a minha fila era uma fila de nível de estresse baixo, afinal era a fila da indicação de condutor, passar os pontos para o condutor responsável, coisa fácil, ao lado a coisa começava a ficar quente, casos de pessoas com problemas sérios com transferências de propriedade, havia também casos de pessoas que recebem multas de outras pessoas em seu nome, carros clonado, de um tudo.
Esse é o tipo de lugar que ninguém vai contente, o clima é pesado.
No final, quando consegui a tal transferência, agradeci o funcionário, o pessoal que estava atrás de mim perguntou - como você consegue agradecer? - Simples não preciso de mais esse motivo para ficar irritada, agradeci e o Sr Funcionário nem respondeu, mas eu sai de lá lépida e faceira, missão cumprida!
Fica a pergunta, precisa mesmo judiar o usuário desse jeito?

Um comentário:

Nei kS disse...

Claro que eu nao volto pro Brasil porque gosto de morar aqui. Mas se te uma coisa que me afasta do Brasil é isso, exatamente esse purgatorio de desatenção com as pessoas.