sábado, 7 de fevereiro de 2009

Alguém me explica?


Esse é mais um momento "Chata de Galochas", mas que posso fazer?
O povo não me economiza!
Como toda mãe de três filhos, hoje foi dia de comprar material escolar, nem posso reclamar, as listas são bem razoáveis, se limitam aos cadernos, lápis, pastas, tudo em quantidades aceitáveis de materiais simples, sem nenhuma frescura. Até o material da filha-que-já-pode-votar é ecologicamente correto!
Fomos em duas papelarias, uma de bairro, cara de doer, a outra, maiorzona, tão cara quanto!
Em ambas, presenciei cenas semelhantes, mães descabeladas comprando um material que mais parecia requisição de diretor de alegoria da escola de samba, alguém vai construir um carro alegórico com os alunos da terceira série? Qual é o uso de tanto gliter? Tanta purpurina?
Existe alguma finalidade pedagógica, ou é apenas o espírito perua das professoras?
Alguém já se propôs a contar quantas folhas sobram nos cadernos?
As escolas sugerem o uso dos cadernos do ano anterior?
Que chata que eu sou!
Momento "problemas escolares":

Numa escola do Ensino Fundamental, as crianças do quarto ano, usaram 15 folhas do caderno de 96. As crianças do quinto ano, usaram 16 folhas do caderno de 96.
Quantas folhas sobraram no caderno das crianças do quarto ano? E no caderno do quinto ano?
Se as crianças do quarto ano ano continuarem com o mesmo caderno, no quinto ano, faltarão ou sobrarão folhas?

A pergunta da Chata de galochas:
Se todo ano sobra folha, por que pedem cadernos tão grossos?
Se todo ano sobram folhas, porque não orientam a usar os mesmos cadernos?

Não vale dizer que o caderno não resiste!

6 comentários:

Patricia Daltro disse...

Menina, meu filhote começou a estudar no semestre passado, não houve lista de material, houve uma taxa compusória de R$ 180,00 e uma "pequena" relação de itens diários - incluindo um brinquedo de peças de montar no valor de quase R$ 50,00 (somando o total de alunos e o total de peças do tal brinquedo, acho que dá para construir um colégio novo com as peças, rs).

Esse ano, a taxa aumentou para R$ 210,00 + tal relação - e, eu fico pensando em como uma criança que não sabe ler, nem escrever, que tudo que faz é dar uns rabiscos aqui e ali pode ter uma taxa de material tão salgada.

Beijos

Maria disse...

Pois é PAtrícia,
vc sabe, vinte anos de sala de aula me fazem questionar essas coisas, cada vez que tenho que comprar material fico pasma com que vejo, é um exagero, uma falta de objetivo, Brinquedo? Brinquedo na Educação infantil ñao é o material que a escola deve oferecer, assim como as carteiras, mesas e etc?

Beijocas

PAola

LuMa disse...

Paola, ótimo este post! É muito provável que as escolas recebam comissõs bem gordas das editoras e empresas produtoras de materiais escolares. Já qto aos cadernos, a solução é desobedecer mesmo.

* Vc tem razão, cassolê ou cassoulet, é francês, mas vai o feijão como protagonista. O milanês vai o repolho crespo! beijos!

Incontinente disse...

Momento "chata de galochas" mto pertinente!

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

nunca entendi isso
deve ser pra garotada fazer avião.

só pode

Ice Ice Baby disse...

depois me conta da "surpresa"chuchu!!

bjs